Vigilância EpidemiológicaAgravos de Notificação Compulsória Tuberculose

Agravos de Notificação Compulsória - Tuberculose

A Tuberculose e sua forma de transmissão são conhecidas desde a Antiguidade. E, segue sendo um dos principais problemas de Saúde Púbica em todo o mundo.
No mundo, o número estimado de pessoas infectadas pelo M. tuberculosis é de 1,7 bilhões, ou seja, 30% da população. Sendo a principal causa morte por doença infecciosa no mundo.
No Brasil são registrados cerca de 120.000 novos casos por ano, sendo que 4 a 5 mil pessoas morrem em decorrência da doença. É o país que apresenta o maior número de casos na América Latina.
Nos países mais desenvolvidos a Tuberculose é mais freqüente entre pessoas idosas, nas minorias étnicas e imigrantes estrangeiros. Já nos países em desenvolvimento, como o Brasil, a Tuberculose atinge todas as faixas etárias com predominância nos indivíduos economicamente ativos, com situação social menos favorecida.
Com o surgimento da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids/Sida) constatou-se um aumento na notificação de casos de Tuberculose em âmbito global.
A gravidade da situação levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a usar a classificação de "emergência mundial" e a propor formas de intervenção para o controle de doenças, através do DOTS (Tratamento Diretamente Observado de Curta Duração), no qual, a atuação dos profissionais de Saúde é bastante ativa, monitorando o tratamento.
Em 6 de agosto de 1998, o Conselho Nacional de Saúde, em sua decisão nº 284, estabelece medidas de âmbito nacional no Controle da Tuberculose através do Plano Nacional de Controle da Tuberculose – PNCT.
O PNCT permite que cada município estabeleça o seu próprio Plano de Controle da Tuberculose – PCT, em concordância com as necessidades e realidades vigentes baseadas em Planejamento Estratégico.
O que é Tuberculose
É uma doença infecciosa, transmissível, que atinge principalmente os pulmões. Embora, em menor proporção, pode atingir outros órgãos como: olhos, rins, cérebro, ossos, gânglios linfáticos e outros.
Robert Köch foi o médico que descobriu o bacilo causador da doença, o bacilo de Köch .
A Tuberculose é uma doença fatal, mas se tratada corretamente tem cura.

Agente Etiológico
A Tuberculose é causada por uma bactéria chamada Mycobactérium tuberculosis, que também é conhecida por Bacilo de Köch e BAAR-Bacilo Álcool Ácido Resistente.
A M. tuberculosis tem preferência por se instalar no pulmão, atingindo-o em 85% dos casos.
Na Tuberculose Pulmonar (TB Pulmonar) as células do sistema imunológico tentam destruir as bactérias agressoras, mas geralmente não conseguem destruir todas. Então, as que escapam "escavam" os pulmões.
Cerca de 95% da população infectada pelo bacilo, consegue bloquear o avanço do processo, permanecendo apenas como infectados, sem que exista a evolução para a doença.

Transmissão
A Tuberculose é transmitida de pessoa para pessoa, através de gotículas suspensas no ar contendo a bactéria, quando o doente de tuberculose espirra, tosse ou fala.
Apenas as pessoas doentes com Tuberculose podem transmitir a doença. Quando esta pessoa não está sendo tratada a transmissão é intensa. Mas quando a pessoa inicia o tratamento, a transmissão vai sendo gradativamente reduzida, até chegar a níveis insignificantes em poucas semanas.
As crianças com Tuberculose Pulmonar, em geral, não são infectantes (não transmitem a doença).
O risco de adoecimento por Tuberculose, é maior na criança com menos de 5 anos, nos adolescentes, adultos jovens e idosos. O risco também aumenta para pessoas desnutridas, com silicose, diabetes, usuários de drogas injetáveis e com imunodepressão (como as infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana – HIV).
Os comunicantes ou contactantes, que são as pessoas que moram com doente de Tuberculose, têm maior risco de adoecer.

Sintomas
• Tosse persistente por mais de 3 semanas;
• Escarro com ou sem sangue;
• Falta de apetite (inapetência);
• Emagrecimento;
• Dor no peito;
• Suores noturnos (sudorese noturna);
• Febre baixa, em geral à tarde;
• Cansaço fácil.

Diagnóstico
O diagnóstico da Tuberculose Pulmonar é realizado através do exame clínico, de exames laboratoriais; (sendo que a baciloscopia de escarro é o mais utilizado, por ser o de mais simples realização e mais barato) e o Raio X de tórax.

Tratamento
O tratamento é feito com uma combinação de três diferentes tipos de drogas. Este esquema é conhecido como quimioterapia de curta duração, os medicamentos são fornecidos pelas Unidades de Saúde.
A duração do tratamento é de 6 meses e pode curar praticamente todos os casos. Já no primeiro mês a pessoa sente-se muito melhor, mas é fundamental não interromper o tratamento, pois os sintomas voltam e o bacilo se tornará resistente aos medicamentos utilizados.

Prevenção
• O tratamento de um doente é a melhor forma de evitar a disseminação da Tuberculose;
• Vacinação (BCG);
• Habitação limpa, ventilada e com incidência de sol, é importante para diminuir o contágio;
• Boa nutrição, melhora a resistência orgânica e diminui o risco de adoecimento.

Situação do Agravo no município: No ano de 2007, foram notificados 79 casos de tuberculose e destes 65 são presidiários. O município conta com o Serviço de Tuberculose, o qual realiza exames para detecção da doença e tendo ela confirmada, disponibiliza de medicação e acompanhamento médico mensal. As Unidades de Saúde da Família, quando atendem algum paciente com sintomas sugestivos de TB, devem referenciar este paciente para o Serviço de Tuberculose, a fim de realização de exames e se for necessário, iniciar o tratamento medicamentoso.

SAIBA MAIS:
Tuberculose – Guia de Vigilância Epidemiológica
Ficha de Notificação